Neste ensaio apresento as cidades como um multiverso em expansão que se nutrem do inconsciente coletivo das diferentes culturas e tribos que o habitam. São universos paralelos e Superpostos, irreais e oníricos, opostos e complementares, que refletem temas universais como mobilidade urbana, desigualdade social, alienação humana, poluição visual, e objetivação da imagem feminina, entre outros. Cada imagem do multiverso é uma provocação que desafia a percepção de realidade do observador, cujo olhar realimenta meu próprio universo interior.